Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/19631
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_RobertaFablinedaSilvaBarros.pdf2,15 MBAdobe PDFver/abrir
Título: Compreensões de justiça climática na formação de professores : estudo de caso na Estação Ecológica de Águas Emendadas, Planaltina-DF
Autor(es): Barros, Roberta Fabline da Silva
Orientador(es): Tamaio, Irineu
Assunto: Mudanças climáticas
Educação ambiental
Unidades de conservação da natureza
Data de apresentação: 4-Dez-2017
Data de publicação: 9-Mar-2018
Referência: BARROS, Roberta Fabline da Silva. Compreensões de justiça climática na formação de professores: estudo de caso na Estação Ecológica de Águas Emendadas, Planaltina-DF. 2017. 81 f., il. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Gestão Ambiental)—Universidade de Brasília, Planaltina-DF, 2017.
Resumo: O diálogo em torno das Mudanças do Clima é bastante complexo e conflituoso pois envolve diversos fatores e interesses sobre o tema. Os impactos das Mudanças do Clima não atingirão da mesma forma todas os grupos sociais, alguns grupos são mais vulneráveis que outros configurando-se então a Injustiça Climática. Essa pesquisa engloba a realidade da Região Administrativa (RA) de Planaltina no Distrito Federal. Essa RA possui crescimento desordenado, condições precárias de serviços básicos de cidadania como saúde, segurança, educação e infraestrutura. Estes e outros fatores realçam a ideia de que a região se configura como uma área de vulnerabilidade socioambiental expostos aos efeitos do clima. Essa região ainda possui várias Unidades de Conservação (UC) que podem contribuir para minimizar os eventos extremos do Clima junto a população do entorno, sobretudo, os grupos mais vulneráveis, entre elas se encontra a Estação Ecológica de Águas Emendadas (ESEC-AE) que oferece um Curso de Formação Permanente para os educadores da região. Nesse contexto o objetivo dessa pesquisa foi analisar a compreensão dos educadores, que participaram do curso Reeditor Ambiental no ano de 2016, sobre a relação entre Mudanças do Clima - Justiça Climática - ESEC-AE. O referencial conceitual foi baseado nos temas: Mudanças do Clima, Justiça Climática e Educação Ambiental. Como metodologia, foi utilizada a pesquisa qualitativa por meio do estudo de caso, realizada em duas etapas: a coleta de material bibliográfico para a contextualização da pesquisa e a obtenção de dados primários através da aplicação de três questionários para coletar as compreensões dos educadores. Os resultados permitiram compreender que os educadores possuem limitações ao entender o conceito de Justiça Climática. E que não relacionam esse fenômeno ao modelo de produção capitalista predatório e responsável pelas emissões de Gases de Efeito Estufa. Cabe dizer que os educadores compreendem os problemas regionais, mas não conseguem relacionar a ESEC-AE com as Justiça Climática. A partir dos relatos e das análises, podemos interpretar que os educadores têm dificuldades em trabalhar Mudanças do Clima em suas práticas pedagógicas.
Abstract: The dialogue around Climate Change is very complex and conflicting because it involves several factors and interests on the subject. The impacts of Climate Change will not reach all social groups in the same way, some groups are more vulnerable than others, and Climate Injustice will be configured. This research encompasses the reality of the Administrative Region (RA) of Planaltina in the Federal District. This RA has disorderly growth, precarious conditions of basic citizenship services such as health, safety, education and infrastructure. These and other factors highlight the idea that the region is an area of socio-environmental vulnerability exposed to the effects of climate. This region still has several Conservation Units (UC) that can contribute to minimize the extreme events of the Climate with the surrounding population, especially the most vulnerable groups, among them the Ecological Station of Waters Amended (ESEC-AE) that offers a Permanent Training Course for educators in the region. In this context, the objective of this research was to analyze the understanding of the educators, who participated in the Environmental Reeditor course in 2016, about the relationship between Climate Change - Climate Justice - ESEC-AE. The conceptual framework was based on the themes: Climate Change, Climate Justice and Environmental Education. As a methodology, the qualitative research was used through the case study, carried out in two stages: the collection of bibliographic material for the contextualization of the research and the obtaining of primary data through the application of three questionnaires to collect the educators' understandings. The results showed that educators are not aware of the concept of Climate Justice. And they do not relate this phenomenon to the model of capitalist production predatory and responsible for the emissions of greenhouse gases. It should be said that educators understand regional problems, but they can not relate ESEC-AE to Climate Justice. From the reports and analysis, we can interpret that educators have difficulties in working Climate Change in their pedagogical practices.
Informações adicionais: Trabalho de Conclusão de Curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Planaltina, 2017.
Aparece na Coleção:Gestão Ambiental



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons