Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/19568
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2014_MayreAntunesDamascenoSeverino.pdf649,64 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Gestão democrática e afeto, juntos por uma escola pública de qualidade
Autor(es): Severino, Mayre Antunes Damasceno
Orientador(es): Almeida, Inês Maria Marques Zanforlin Pires de
Mota, Miriam Monaco
Assunto: Psicanálise e educação
Fracasso escolar
Afetividade
Professores e alunos
Data de apresentação: 26-Jul-2014
Data de publicação: 28-Fev-2018
Referência: SEVERINO, Mayre Antunes Damasceno. Gestão democrática e afeto, juntos por uma escola pública de qualidade. 2014. 52 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Gestão Escolar)—Universidade de Brasília, Brasília, 2014.
Resumo: O trabalho versa sobre o fracasso escolar na perspectiva de análise do fenômeno através da psicanálise na busca de compreender o que ocorre em sala de aula. Os estudos mostram que crianças rotuladas perdem o interesse pela escola, priorizando outras práticas, abandonando o saber sistematizado. O afeto por parte de todos, poderá ser um antídoto eficiente contra o fracasso escolar, memórias e experiências do inconsciente poderão ser aproveitadas de forma positiva e inovadora. Trabalhar os aspectos emocionais da pessoa humana, também deveria fazer parte das matérias escolares, pois é lá, que as pessoas passam a maior parte de suas vidas. Foram aplicados questionários para alunos, pais, professores/funcionários e uma entrevista com a diretora, com o objetivo de perceber se a falta de afeto da equipe gestora interfere na aprendizagem do educando. A partir dos dados coletados, foi possível observar que os alunos têm entendimento do afeto, porém não notam a importância dele para o aprendizado. É possível compreender que a maioria dos pais demonstra que entendem o que é o afeto, e que a falta do mesmo pela equipe gestora pode influenciar de forma negativa o aprendizado do educando. Com relação aos professores e funcionários, veem alguma relação da baixa autoestima profissional com o fracasso escolar, entendem que quando não há motivação o trabalho fica de alguma forma comprometido. Para a gestora o inconsciente das pessoas faz sim parte da escola, pois os seres humanos compartilham memórias e experiências comuns que estão armazenados no inconsciente coletivo e que o sucesso da aprendizagem é o objetivo principal. Foi possível concluir que a escola vê a importância do afeto, mas precisa colocá-lo em prática para obter bons resultados.
Informações adicionais: Trabalho de Conclusão de Curso (especialização)—Universidade de Brasília, Ministério da Educação, Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares, Centro de Formação Continuada de Professores, Secretaria de Educação do Distrito Federal, Escola de Aperfeiçoamento de Profissionais da Educação, 2014.
Aparece na Coleção:Gestão Escolar



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons