Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/19454
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_AmandaCassiadeMedeiros.pdf468,96 kBAdobe PDFver/abrir
Título: A construção ter pra mim em português brasileiro : propriedades sintáticas e semânticas
Autor(es): Medeiros, Amanda Cássia de
Orientador(es): Lunguinho, Marcus Vinícius da Silva
Assunto: Língua portuguesa - gramática
Língua portuguesa - verbos
Língua portuguesa - sintaxe
Data de apresentação: 2017
Data de publicação: 19-Fev-2018
Referência: MEDEIROS, Amanda Cássia de. A construção ter pra mim em português brasileiro : propriedades sintáticas e semânticas. 2017. 41 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Letras Português)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.
Resumo: Neste trabalho, estudamos a construção ter pra mim em português brasileiro, buscando resposta para quatro questões: 1) Qual a semelhança existente entre os tempos verbais aceitáveis no verbo ter? 2) O constituinte [pra mim] é um argumento do verbo ter? 3) Se sim, qual o seu papel temático? 4) Quais as semelhanças e as diferenças encontradas entre as construções ter pra mim e me parece / parece-me? Para isso, partimos de uma descrição de seu uso, baseada em testes de gramaticalidade feitos com falantes do português brasileiro, sobretudo com aqueles cujo dialeto é o da região Nordeste, dialeto esse em que, na nossa opinião, há maior ocorrência da construção em estudo. Depois, apresentamos o quadro teórico que servirá para nossa análise, qual seja, a Teoria de Princípios e Parâmetros (Chomsky, 1981), com enfoque na estrutura argumental e na teoria temática. Do ponto de vista semântico, a construção ter pra mim é usada com sentido de ponto de vista do falante. Do ponto de vista sintático, essa construção apresenta algumas restrições em relação: a) à ordem dos constituintes, que deve ser fixa; b) à seleção do sujeito do verbo ter, que é sempre de 1ª pessoa do singular; e c) ao tempo do verbo ter, o qual só pode aparecer no presente do indicativo, no pretérito imperfeito do indicativo e no pretérito imperfeito do subjuntivo. Esses três tempos apresentam uma relação aspectual, uma vez que todos eles têm valor imperfectivo. Além disso, no que se refere às propriedades do verbo ter que integra a estrutura da construção ter pra mim, esse verbo seleciona três argumentos: um argumento externo [eu], um argumento interno oracional introduzido pelo complementador que e outro argumento interno, o PP [pra mim]. Com base no estudo de Petersen (2016), argumentamos que o constituinte [pra mim] é um argumento do verbo ter e recebe desse verbo o papel temático de experienciador. Por fim, percebendo uma relação existente entre a construção ter pra mim e me parece / parece-me, fizemos uma comparação entre essas duas construções, buscando apontar suas semelhanças e diferenças.
Abstract: The main aim of this study is to present an analysis to the construction ter pra mim (literally: “to have to me”) in Brazilian Portuguese. With this investigation, we want to answer four questions: 1) What are the similarities between the acceptable tenses of the verb ter?; 2) Is the constituent [para mim] an argument of ter?; 3) If it is, what is its thematic role?; 4) What are the differences and the similarities between ter pra mim and me parece / parece-me (literally: “me seems” / “seems me”)? For this purpose, it was firstly made a description of its usage based on grammaticality judgments with Brazilian Portuguese speakers, especially with the ones from the Northeast Region of Brazil, where this construction is mostly used, in our opinion. Then, it was presented the theoretical framework in which we develop the analysis, namely, the Principles and Parameters Theory (Chomsky, 1981), specially the notions of argument structure and thematic theory. From a semantic point of view, the construction ter pra mim is used to convey the speaker‟s point of view. From a syntactic point of view there are some constraints on this construction: a) the order of constituents is fixed; b) the subject of ter must be 1st person singular, and c) ter inflects only for indicative present, indicative past imperfective and subjunctive past imperfective. These three tenses share an aspectual property: all of them are associated with an imperfective value. As for the properties of ter, which is part of the structure of the construction ter pra mim, this verb selects for an external argument [eu], an internal argument introduced by the complementizer que, and a second internal argument, the PP [pra mim]. Based on Petersen‟s (2016) work, we argue that [pra mim] is an argument of the verb ter, and it is assigned an experiencer theta role by this verb. Finally, given the relationship between the constructions ter pra mim and me parece / parece-me, we compared them pointing out their similarities and differences.
Informações adicionais: Trabalho de Conclusão de Curso (graduação)—Universidade de Brasília, Instituto de Letras, Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas, 2017.
Aparece na Coleção:Letras - Português



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons