Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/19366
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_FernandaPriscylaSilvaSantAnaTrindade.pdf500,77 kBAdobe PDFver/abrir
Registro completo
Campo Dublin CoreValorLíngua
dc.contributor.advisorLunguinho, Marcus Vinícius da Silva-
dc.contributor.authorTrindade, Fernanda Priscyla Silva Sant’Ana-
dc.identifier.citationTRINDADE, Fernanda Priscyla Silva Sant’Ana. Particípios derivados de verbos monoargumentais uma breve análise sobre predicação verbal. 2017. 41 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Letras Português)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.pt_BR
dc.descriptionTrabalho de Conclusão de Curso (graduação)—Universidade de Brasília, Instituto de Letras, Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas, 2017.pt_BR
dc.description.abstractEsta monografia tem por objetivo refletir sobre os conceitos de predicação verbal que foram abordados pela gramática tradicional e, por conseguinte, pela linguística moderna. Tem-se como o cerne dessa discussão os verbos monoargumentais, que são os inacusativos e os inergativos, tradicionalmente considerados como intransitivos pelas gramáticas de Rocha Lima (2000), Cunha & Cintra (2001), e Bechara (2009). Os dados para esta pesquisa foram coletados a partir de expressões empregadas em nossa linguagem cotidiana, sendo que algumas construções foram tiradas da internet, especificamente, do Dicionário Informal On-line, (Disponível em: <http://www.dicionarioinformal.com.br/>) e outras sentenças foram criadas. A presente análise parte dos verbos no particípio que, em construções de predicado nominal, transpõem o significado lexical de um verbo correspondente, propondo assim uma interpretação metafórica para a sentença. Para isto, essa análise descritiva baseia-se nos seguintes autores: Elizeu (1984), Duarte (2003), Ciríaco & Cançado (2004), Lunguinho, Resenes & Negrão (2012) e Nascimento (2014), os quais buscam explicar os fenômenos de inacusatividade que têm ocorrido na Língua Portuguesa. Verificou-se que os particípios apresentaram um sentido metafórico em construções V  VDO e VDO, e também V  VDO/VDO. Observou-se, ainda, que alguns particípios compartilham relações de proximidade e sinonímia, pois, conotam um mesmo sentido e uma mesma referencia contextual. Utilizou-se o teste sintático Particípio Absoluto para realizar o diagnóstico de inacusatividade. Por fim, conclui-se, previamente, que há uma possível relação de troca de argumentos entre inacusativos, inergativos em algumas sentenças participiais. Além disso, os dados apontaram que algumas construções inacusativas e transitivas, desde que o argumento interno seja o sujeito da sentença, podem ocorrer com –se. Ante o exposto, considera-se que as discussões trazidas carecem de uma analise mais aprofundada para que se tenha uma análise mais objetiva.pt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subject.keywordLíngua portuguesa - verbospt_BR
dc.subject.keywordLíngua portuguesa - gramáticapt_BR
dc.subject.keywordLinguísticapt_BR
dc.titleParticípios derivados de verbos monoargumentais uma breve análise sobre predicação verbalpt_BR
dc.typeTrabalho de Conclusão de Curso - Graduação - Bachareladopt_BR
dc.date.accessioned2018-02-15T10:56:09Z-
dc.date.available2018-02-15T10:56:09Z-
dc.date.submitted2017-
dc.identifier.urihttp://bdm.unb.br/handle/10483/19366-
dc.language.isoPortuguêspt_BR
Aparece na Coleção:Letras - Português



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons