Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/19013
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_AlexandreEspindolaViana.pdf1,69 MBAdobe PDFver/abrir
Título: Análise da qualidade fisiológica de sementes de Handroanthus impetiginosus (Mart. Ex Dc.) Mattos.
Autor(es): Viana, Alexandre Espíndola
Orientador(es): Martins, Rosana de Carvalho Cristo
Coorientador(es): Corrêa, Ana Carolina Gomes
Assunto: Sementes
Sementes - qualidade
Cerrado
Cerrado - recuperação
Reflorestamento
Data de apresentação: 8-Dez-2017
Data de publicação: 15-Jan-2018
Referência: VIANA, Alexandre Espíndola. Análise da qualidade fisiológica de sementes de Handroanthus impetiginosus (Mart. Ex Dc.) Mattos. 2017. ix, 38 f., il. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em Engenharia Florestal)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.
Resumo: O Cerrado vem sofrendo baixas consideráveis em sua formação florestal causadas pelo interesse em ampliar áreas de monocultura na região central do país, destacando-se a importância do reflorestamento. As potencialidades genéticas das sementes e a qualidade das mudas são os fatores que determinam o sucesso de um reflorestamento. Portanto é relevante que se tenha conhecimento sobre as espécies recomendadas para a condução dessa forma de manejo. O ipê-roxo é indicado em recuperação de áreas degradadas devido a sua exuberância e por gerar aumento da variabilidade genética. O objetivo deste trabalho foi verificar a adequação dos testes de condutividade elétrica e do pH do exsudato-fenolftaleína para análise da qualidade fisiológica das sementes de Handroanthus impetiginosus (Mart. ex DC.) Mattos. Ambos os testes foram conduzidos em três tempos de embebição (30, 60 e 90 min), sendo que se empregou as soluções de carbonato de cálcio e fenolftaleína no teste de pH de exsudato (método colorimétrico). Ao final dos testes, as sementes foram colocadas para germinar em substrato rolo de papel, a 25ºC, com fotoperíodo de 12 horas de luz, por 30 dias. O delineamento estatístico adotado foi o inteiramente casualizado, com quatro repetições de 100 sementes. Nas condições testadas neste trabalho os testes de condutividade elétrica não se mostraram adequados para diagnosticar o vigor das sementes de Handroanthus impetiginosus, mas o de pH de exsudato-fenolftaleína foi considerado válido.
Abstract: The Brazilan Cerrado has suffered considerable losses in its forest formation caused by the interest in expanding areas of monoculture in the central region of the country, highlighting the importance of reforestation. The genetic potential of seed and the quality of seedlings are the factors that determine the success of a reforestation. Therefore, it is important to have knowledge about the species recommended for the conduction of this form of forest management. Pink trumpet tree is indicated for the recovery of degraded areas due to its exuberance and for generating increased genetic variability. The objective of this work was to verify the adequacy of the electrical conductivity tests and pH of exsudato-phenolphthalein for the analysis of the physiological quality of the seeds of Handroanthus impetiginosus (Mart. Ex DC.) Mattos. Both tests were conducted in three soak times (30, 60 and 90 min), using calcium carbonate and phenolphthalein solutions in the exudate pH test (colorimetric method). At the end of the tests, the seeds were placed to germinate on paper roll substrate, at 25ºC, with photoperiod of 12 hours of light, for 30 days. The statistical design adopted was completely randomized, with four replicates of 100 seeds. In the conditions tested in this work the electrical conductivity tests were not adequate to diagnose the vigor of the seeds of Handroanthus impetiginosus, but the pH of exsudate-phenolphthalein was considered valid.
Informações adicionais: Trabalho de conclusão de curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Tecnologia, Departamento de Engenharia Florestal, 2017.
Aparece na Coleção:Engenharia Florestal



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons