Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/18509
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_TaynaraRodriguesOliveira.pdf705,49 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Divulgação de deficiências nos controles internos de entidades do setor financeiro : relação com a governança corporativa e auditoria independente
Autor(es): Oliveira, Taynara Rodrigues
Orientador(es): Dantas, José Alves
Assunto: Auditoria interna
Governança corporativa
Controle interno
Data de apresentação: 28-Jun-2017
Data de publicação: 8-Dez-2017
Referência: OLIVEIRA, Taynara Rodrigues. Divulgação de deficiências nos controles internos de entidades do setor financeiro: relação com a governança corporativa e auditoria independente. 2017. 40 f., il. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em Ciências Contábeis)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.
Resumo: O presente estudo teve por objetivo relacionar as informações divulgadas pelas entidades do setor financeiro listadas na BM&FBovespa sobre as deficiências nos controles internos com a governança corporativa, opinião de auditoria e a firma que prestou os serviços de auditoria. O estudo tem como base a Instrução CVM nº 552/2014, que traz a obrigatoriedade da divulgação, no Formulário de Referência, das deficiências presentes nos controles internos, a partir do ano de 2016. Por meio de levantamento documental e análise qualitativa, as informações coletadas do Formulário de Referência foram analisadas e relacionadas com a governança corporativa, opinião de auditoria e firma de auditoria de uma amostra de 76 companhias de seis setores de atuação dentro do setor financeiro listadas na BM&FBovespa, no período de 2016. 54% das companhias da amostra não apresentam nenhuma deficiência em seus controles internos, o que chama a atenção. A análise por segmento de listagem de governança corporativa apresenta um resultado inesperado, visto que companhias com altos padrões de governança corporativa apresentaram mais deficiências em seus controles internos do que companhias com padrões menos elevados. O resultado da análise por opinião de auditoria trouxe incoerências entre as informações divulgadas sobre os controles internos e a opinião de auditoria, como, por exemplo, a existência de deficiências significativas nos controles internos enquanto a opinião da auditoria é sem ressalvas. Ao relacionar as informações sobre deficiências nos controles internos e as firmas de auditoria prestadoras dos serviços, pode-se observar que cerca de 81% das companhias da amostra foram auditadas por uma das Big Four, o que nos reafirma que elas são as mais procuradas dentro do mercado.
Informações adicionais: Trabalho de conclusão de curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Departamento de Ciências Contábeis e Atuariais, 2017.
Aparece na Coleção:Ciências Contábeis



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons