Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/18367
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_AnaMariaOliveiraPereira_tcc.pdf851,39 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Análise dos custos do adubo químico e orgânico na produção de alface (Lactuca sativa L.) no Distrito Federal
Autor(es): Pereira, Ana Maria Oliveira
Orientador(es): Santos, Anna Paula Rodrigues dos
Assunto: Adubos e fertilizantes
Fertilização orgânica
Agricultura orgânica
Produtividade agrícola
Data de apresentação: Fev-2017
Data de publicação: 23-Nov-2017
Referência: PEREIRA, Ana Maria Oliveira. Análise dos custos do adubo químico e orgânico na produção de alface (Lactuca sativa L.) no Distrito Federal. 2017. 48 f., il. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Gestão de Agronegócios)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.
Resumo: O presente trabalho teve como objetivo comparar os custos da adubação química e orgânica na produção de alface. Foi realizado experimento de campo na Fazenda Água Limpa FAL-UnB, Brasília-DF, para determinar, através da análise do solo, a quantidade necessária de cada adubo. Pesquisa de preços dos insumos foi realizada em lojas de produtos agropecuários e propriedades rurais que vendem os adubos orgânicos. O valor de venda de caixas e pés de alface convencional e orgânica foi pesquisado no mês de janeiro e fevereiro de 2017 na CEASA-DF, Mercado Orgânico e Galpão da Agricultura Familiar, com a finalidade de comparar os preços de comercialização da cultura. O custo com adubação orgânica é em média R$ 3.638,27reais mais baixo do que o custo da adubação química, sendo que o esterco de aves é o que apresenta um menor custo e cama de frango o maior. O preço da caixa de alface orgânica é aproximadamente R$ 21,00 reais mais alto do que o da alface convencional. O pé de alface convencional é vendido por um preço médio de 0,90 centavos mais baixo do que o orgânico. A demanda pelo produto orgânico é maior que a oferta e o consumidor está cada dia mais preocupado com os aspectos relacionados à saúde e questões ambientais, por isso está disposto a pagar mais por esses produtos. O produtor tem um custo com adubação orgânico menor com um produto com maior valor agregado, por isso é mais rentável produzir com a adubação orgânica. O esterco de aves é o que se mostra mais vantajoso para o produtor, pois tem um menor custo, auxilia na formação da estrutura física do solo, aumenta da capacidade de retenção de água, contribui para a diminuição da fixação de fósforo no solo. Portanto, a fertilização orgânica vem se confirmar como uma importante ferramenta de suporte à produção de folhosas, contribuindo para o incremento da produção e da renda do produtor agrícola.
Informações adicionais: Trabalho de Conclusão de Curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, 2017.
Aparece na Coleção:Gestão do Agronegócio



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons