Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/18117
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_LeviMeloViana_tcc.pdf665,81 kBAdobe PDFver/abrir
Título: A credibilidade do Banco Central durante o governo Dilma (janeiro de 2011 a maio de 2016)
Autor(es): Viana, Levi Melo
Orientador(es): Andrada, Alexandre Flávio Silva
Assunto: Rousseff, Dilma Vana, 1947- política e governo
Banco Central do Brasil
Política monetária
Brasil - política e governo 2011-2016
Data de apresentação: 2016
Data de publicação: 31-Out-2017
Referência: VIANA, Levi Melo. A credibilidade do Banco Central durante o governo Dilma (janeiro de 2011 a maio de 2016). 2016. 31 f., il. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em Ciências Econômicas)—Universidade de Brasília, Brasília, 2016.
Resumo: O presente trabalho se dedica à mensuração da credibilidade do Banco Central do Brasil – BC durante a vigência do Governo Dilma. Para tanto, após a revisão da teoria econômica no assunto, são resumidos cinco índices de credibilidade presentes na literatura: o índice de credibilidade de Cecchetti e Krause (ICCK); o índice de Sicsú (ICS); o índice de Sicsú normalizado (ICSN); o índice proposto por Nahon e Meurer (2005) (ICP); e o índice Razão de Credibilidade (RC). Dentre estes, ICSN e RC se mostraram mais razoáveis e compatíveis com a realidade brasileira e foram utilizados para a mensuração sugerida. Ainda, foi proposta uma alteração no ICSN, que, por conta da particularidade da amostra analisada, não teve efeito algum no resultado, e uma segunda modificação no RC, que resultou em conclusão mais harmônica com a realidade da amostra. Os resultados não foram homogêneos. Por um lado, o ICSN atribuiu baixos níveis de credibilidade ao BC no Governo Dilma, com a exceção dos meses de junho e julho de 2012. Por outro, o RC caracterizou o mesmo BCB, sob o mesmo período, como altamente crível. Tal divergência de resultados é devida à forma de mensuração do RC e, por isso, uma leve mudança, gerando um RC*, foi implementada e seu resultado se mostrou mais verossímil. Todavia, o RC* obtido ainda classificou o Banco Central do Brasil, no período 2011 – 2016, com uma credibilidade superior à obtida pelo ICSN.
Informações adicionais: Trabalho de conclusão de curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Departamento de Economia, 2016.
Aparece na Coleção:Ciências Econômicas



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons