Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/17871
Título: Diagnóstico situacional da assistência farmacêutica básica em Centros de Saúde da Região Leste do Distrito Federal
Autor(es): Bandeira, Laís Bié Pinto
Orientador(es): Silva, Dayde Lane Mendonça da
Assunto: Atenção primária à saúde
Farmacêuticos - prática profissional
Política farmacêutica
Assistência farmacêutica
Data de apresentação: 2-Dez-2016
Referência: BANDEIRA, Laís Bié Pinto. Diagnóstico situacional da assistência farmacêutica básica em Centros de Saúde da Região Leste do Distrito Federal. 2016. 76 f. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em Farmácia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2016.
Resumo: A Assistência Farmacêutica (AF) ganhou importância através das Políticas Farmacêuticas, que visam garantir o acesso e uso racional de medicamentos, no entanto, ainda há debilidade na infraestrutura das farmácias, nos recursos humanos e na operacionalidade dos serviços. Desta forma, faz-se necessário avaliar a gestão da AF para proposição de estratégias que contribuam para melhora do cenário local. O objetivo do trabalho foi realizar um diagnóstico situacional de AF em Centros de Saúde (CS) da Região Leste do DF, a partir de um estudo transversal e descritivo, através da aplicação de questionários para obtenção de informações sobre os CS, estrutura física das farmácias e gestão da AF. O CS do Itapoã adotou a Estratégia Saúde da Família como modelo assistencial, enquanto os CS do Paranoá e São Sebastião possuem o modelo tradicional de assistência à saúde. A área de armazenamento das farmácias apresenta problemas, tais como: controle de temperatura e umidade comprometido e medicamentos em contato com as paredes e o chão. A área de dispensação possui um modelo estrutural que não favorece a interação do farmacêutico com o usuário. As três farmácias têm farmacêuticas como responsável técnico, porém apenas uma delas tem carga horária integral. Os serviços desenvolvidos pelas farmacêuticas se restringem às atividades de gerenciamento e logística, contudo as farmacêuticas ressaltam a importância dos serviços clínicos e pontuam a falta de tempo e de infraestrutura como as principais causas da ausência destes serviços. Apesar da programação ser realizada mensalmente, é comum o desabastecimento de medicamentos na três unidades. A entrega de medicamentos aos usuários é feita principalmente pelos técnicos e raramente são dadas orientações sobre uso dos medicamentos. Verificou-se que AF desenvolvida mantem ênfase em atividades de logística, com pouca ou nenhuma atividade de cuidado farmacêutico. Também observou-se problemas relacionados a gestão e às atividades de logística que comprometem o acesso ao medicamento.
Informações adicionais: Trabalho de conclusão de curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, 2016.
Informações de Acesso e Conteúdo: Texto parcialmente liberado pela autora. Conteúdo retido: Objetivos, Resultados, Discussão e Conclusão.
Aparece na Coleção:Farmácia

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_LaisBiePintoBandeira_Parcial.pdf467.87 kBAdobe PDFver/abrir


Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons