Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/17439
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_ThaisCarolineGentil_tcc.pdf680,79 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Análise da dimensão racial nas ações da Proteção Social Básica em Centro de Referência da Assistencia Social (CRAS) do Distrito Federal
Autor(es): Gentil, Thais Caroline Branco
Orientador(es): Pereira, Lucélia Luiz
Assunto: Centro de Referência da Assistência Social (CRAS)
Racismo
Assistência social
Data de apresentação: 2-Dez-2016
Data de publicação: 13-Jul-2017
Referência: GENTIL, Thais Caroline Branco. Análise da dimensão racial nas ações da Proteção Social Básica em Centro de Referência da Assistencia Social (CRAS) do Distrito Federal. 2016. 64 f. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em Serviço Social)—Universidade de Brasília, Brasília, 2016.
Resumo: A presente monografia realizou uma análise sobre o recorte racial nas ações de Proteção Social Básica implementadas em Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) do Distrito Federal, tendo em vista o perfil majoritário de mulheres negras atendidas nestes equipamentos sociais da Política de Assistência Social. Para isso, foi realizado um levantamento bibliográfico sobre a Política de Assistência Social, em especial as ações da Proteção Social Básica; análise sobre o surgimento do racismo e suas diversas refrações ao longo da história, com ênfase ao mito da democracia racial e ao racismo institucional; além do levantamento a respeito das desigualdades raciais no Brasil. Foram realizadas e analisadas catorze (14) entrevistas com profissionais de nível superior e técnico que atuam no CRAS. A pesquisa é de natureza qualitativa, o que proporcionou a análise subjetiva da fala dos entrevistados a respeito do público majoritário de suas ações. Os resultados indicam a falta de problematização acerca dos fatores que contribuem para que o público do CRAS seja majoritariamente de mulheres negras, o que fomenta o silenciamento das instituições públicas frente a ações que visam o combate as diversas formas de expressão do racismo. Foi possível inferir que os fatores relacionados à situação de vulnerabilidade dos usuários, operam de maneira uníssona no imaginário dos entrevistados, como se somente a pobreza fosse a razão do alto índice de negros como usuários da instituição. Infere-se que o mito da democracia racial e o racismo institucional têm sido os motores da ausência de problematização por parte dos profissionais, tendo em vista que eles reconhecem a presença majoritária de mulheres negras na instituição, mas não atribuem isso ao racismo velado que impera na sociedade brasileira. É de salutar importância abordar tal temática dentro da Proteção Social Básica, pois a sociedade brasileira tem historicamente negado a presença do racismo nos mais diversos meios, contribuindo para a negação dos reflexos do racismo na vida do segmento negro, que tem sido o maior demandátario das ações do CRAS.
Abstract: This monograph carried out an analysis about the racial theme in the actions of Basic Social Protection implemented on Centro de Reference de Assistance Social (CRAS) from Distrito Federal, in view of the majority profile of black women assisted in these social facilities of the Social Assistance Policy. This data comes from the last survey carried out by Cadastro Único on the profile of registered users. For this reason, a bibliographic survey was carried out on the Social Assistance Policy, in particular the actions of Basic Social Protection; analysis of the emergence of racism and its various refractions throughout history, with emphasis on the myth of racial democracy and institutional racism; in addition to the survey on gender and race inequalities in Brazil. Fourteen interviews with professionals working in CRAS were carried out and analyzed. The research is from qualitative nature, which provided the subjective analysis of the interviewees' speech about the majority public of their actions. The results indicate the lack of problematization about the determinants of the majority public of black women in CRAS, which encourages the silencing of public institutions against actions aimed at combating various forms of expression of racism. It was possible to infer that the determinants of the vulnerability situation of the users operate in a unified way in the interviewees' imagination, as if only poverty were the reason for the high rate of black people as users of the institution. It is inferred that the myth of racial democracy and institutional racism have been the motors of the lack of problematization on the part of professionals, since they recognize the presence of black women in the institution, but do not attribute this to the historicity of slavery and to the veiled racism that prevails in Brazilian society. It is of salutary importance to address this issue within the Basic Social Protection, since Brazilian society has historically denied the presence of racism in the most diverse ways, contributing to the denial of the reflexes of slavery in the life of the black segment, which has been the largest demand of actions of CRAS.
Informações adicionais: Trabalho de conclusão de curso (graduação)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Humanas, Departamento de Serviço Social, 2016.
Aparece na Coleção:Serviço Social



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons