Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/16132
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_AndreiaNobertoDosSantos_tcc.pdf1,39 MBAdobe PDFver/abrir
Título: Análise do limiar anaeróbio de amputados transfemorais
Outros títulos: Analysis of anaerobic threshold of transfemoral amputees
Autor(es): Santos, Andréia Noberto dos
Orientador(es): Marães, Vera Regina Fernandes da Silva
Assunto: Deficientes físicos
Amputação transfemoral
Esforço físico
Força muscular
Data de apresentação: 2016
Data de publicação: 2-Mar-2017
Referência: SANTOS, Andréia Noberto dos. Análise do limiar anaeróbio de amputados transfemorais. 2016. 48 f., il. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em Fisioterapia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2016.
Resumo: Introdução: O comportamento do organismo ao esforço físico é uma grande ferramenta de avaliação clínica, tendo em vista que fornece importantes informações sobre as condições dos sistemas respiratório, cardiovascular, muscular e metabólico. Com a amputação transfemoral o organismo deve se adaptar a uma severa assimetria de massa e força muscular. O gasto energético nestes indivíduos é aumentado e o equilíbrio também está prejudicado. Objetivo: O presente estudo tem como principal objetivo avaliar o limiar anaeróbio de indivíduos com amputação. Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo epidemiológico descritivo transversal. A amostra foi composta por indivíduos do sexo masculino, com amputação transfermoral unilateral, protetizado, fisicamente ativos (segundo IPAQ) e com ausência de doenças cardiovasculares. Os indivíduos foram submetidos a um teste em bicicleta ergométrica (Corival - Quinton) utilizando um ergoespirômetro Vmax (CareFusion), com protocolo em Rampa (15W/min.). A partir dos dados obtidos foi realizada a determinação do limiar anaeróbio pelo método V-Slope, que consiste na análise visual das curvas de PET O2 e QR. Resultados: Os sete voluntários incluídos no estudo apresentaram uma média de PET O2 de 97,08 ±3,43 mmHg e de QR de 1,09 ±0,08. A frequência cardíaca máxima dos voluntários atingiu uma média de 127 ±15,0 batimentos por minuto. Na carga em Watts no momento do limiar anaeróbio os voluntários alcançaram uma média de 77± 31,26 W. Discussão: Os valores apresentados pelos voluntários em todas as variáveis analisadas estão abaixo do esperado para indivíduos do mesmo sexo, faixa etária e nível de atividade sem amputação. Conclusão: O limiar anaeróbio pode ser utilizado como medida de avaliação do desempenho de amputados transfemorais, porém novos estudos são necessários com indicações de valores adaptados para a nova condição física destes indivíduos.
Abstract: Introduction: The behavior of the organism to physical stress is a major clinical assessment tool, considering that provides important information about the conditions of the respiratory, cardiovascular, muscular and metabolic systems. With the transfemoral amputation the body must adapt to a severe asymmetry of muscle mass and strength. Energy expenditure in these individuals is increased and the balance is also impaired. Objective: This study has as main objective to evaluate the anaerobic threshold of individuals with transfemoral amputation. Materials and Methods: This is a cross-sectional epidemiological study. The sample consisted of males with unilateral transfermoral amputation, prosthetic, physically active (according IPAQ) and the absence of cardiovascular disease. The subjects underwent a test on a cycle ergometer (Corival - Quinton) using a ergospirometer (V-max Carefusion) with protocol Ramp (15W / min.). From the data was performed to determine the anaerobic threshold by V-slope method, which consists of visual analysis of PET O2 and RQ curves. Results: The seven volunteers included in the study had an average of 97,08 ±3,43 mmHg PET O2 and QR 1.09 ± 0.08. The maximum heart rate of volunteers averaged 127 ± 15.0 beats per minute. The load in Watts at the anaerobic threshold volunteers averaged 77,57 ±31,26 W. Discussion: The values shown by the volunteers in all variables are lower than expected for individuals of the same sex, age and activity level without amputation. Conclusion: The anaerobic threshold may be used as a measure evaluating the performance of transfemoral amputees, but further studies are necessary with indications of values adapted to the new physical condition of these individuals.
Informações adicionais: Trabalho de conclusão de curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia, 2016.
Aparece na Coleção:Fisioterapia



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons