Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/157
Título: Caracterização de vitamina C em frutos de Camu-camu Myrciaria dubia (H.B.K.) em diferentes estágios de maturação do Banco Ativo de Germoplasma de Embrapa
Autor(es): Zamudio, Luz Haydee Bravo
Orientador(es): Siqueira, Egle Machado de Almeida
Assunto: Camu-camu
Vitamina C
Estágios de maturação
Coluna de Troca Iônica
Data de apresentação: 1-Ago-2007
Data de publicação: 17-Fev-2009
Referência: ZAMUDIO, Luz Haydee Bravo. Caracterização de vitamina C em frutos de Camu-camu Myrciaria dubia (H.B.K.) em diferentes estágios de maturação do Banco Ativo de Germoplasma de Embrapa. 2007. 121 f. Monografia (Especialização em Nutrição Humana)-Universidade de Brasília, Brasília, 2007.
Resumo: Myrciaria dubia é uma planta nativa da Amazônia, com elevado potencial funcional, principalmente pelo alto teor de vitamina C, um dos antioxidantes naturais. O potencial do camu-camu ainda é praticamente ignorado pelos habitantes da região amazônica, ao contrário do meio industrial, onde tem prestígio na indústria de medicamentos, cosméticos, alimentos e bebidas. A Embrapa Amazônia Oriental tem um Banco Ativo de Germoplasma - BAG de camu-camu oriundo da microrregião do Rio Solimões que ainda não foi caracterizado. Por esta razão e aliada à importância dos frutos desta espécie propusemos no presente trabalho de pesquisa: Determinar o teor de ácido ascórbico de um grupo de frutos oriundos do BAG de camu-camu da Embrapa em diferentes estágios de maturação mediante análise comparativa de duas metodologias de Cromatografia Líquida de Alta Eficiência (CLAE) com coluna de Troca Iônica em comparação com o método de titulometria de Tillman, em polpas e cascas separadamente, e avaliar as perdas devidas ao processamento usual na produção de polpa comercial para consumo que ainda não foram reportados. Como resultado, representado pela média das repetições técnicas na polpa e casca do fruto e na polpa processada, a metodologia de CLAE com coluna de troca Iônica apresentou teor de vitamina C 28% maior na casca em comparação com a polpa dos frutos. A polpa comercial apresentou teor de vitamina C mais baixo que o teor da polpa do fruto em 30%. Observou-se que o armazenamento do fruto tanto inteiro quanto na forma homogeneizada, a -80oC, por cerca de 10 meses reduz significativamente o teor de vitamina C na casca e polpa. Concluiuse que: Existe escassa diferença de vitamina C entre os diferentes estágios de maturação. Em todos os estágios de maturação a casca apresentou maior teor de vitamina C que a polpa do fruto. A metodologia de CLAE com coluna de Troca Iônica apresenta valores mais exatos de teor de vitamina C, ao eliminar os interferentes que dão uma alteração no teor de vitamina C. Grande parte do teor de vitamina C na polpa extraída por despolpador mecânico, foi perdida durante o processamento. A completa caracterização dos frutos do banco de germoplasma pode contribuir significativamente com programa de melhoramento genético de camu-camu na Embrapa _______________________________________________________________________________ ABSTRACT
Myrciaria dubia is a native plant of the Amazonian region, with high functional potential, mainly for the high quantities of vitamin C, one of the naturals antioxidants. The potential of camu-camu is still practically ignored by the Amazonian region settlers; on the other hand in the industrial way, the camu-camu has prestige as a natural raw material for the medicine, cosmetics, food and drinks industry. Embrapa Amazonian Oriental keeps Germoplasma Active Bank BAG of camu-camu, originated from the Solimões micro region that was not characterized. For this reason, allied to the importance of this specie fruits, we propose in the present research work: Evaluate the ascorbic acid concentration of a mix of camucamu fruits native to Embrapa´s BAG, in different ripeness stages by comparative analysis of two methodologies High pressure liquid chromatography (HPLC) with Ionic Interchange column and Tillman titulometric method in flesh and rind separately and evaluate the losses due to the usual processing of camu-camu fruits for a commercial flesh production, all of these were not reported yet. As a result, that was represented by the arithmetical average of technical repetitions in the flesh and rind fruit and the commercial flesh, HPLC's methodology showed 28 % higher quantity of vitamin C in rind than in flesh. The commercial flesh extracted for its further use presented less vitamin C concentration than the natural flesh of camu-camu fruit in 30 %. The storage of camu-camu fruit at -80 oC as a whole fruit or in the homogenized form for near 10 months approximately reduces significantly the vitamin C concentration in the rind and flesh. Concluding: The results presented lightly significant differences of the vitamin C concentration between the different ripeness stages; the rind presented vitamin C quantity significantly higher than the flesh in all ripeness stages of camu-camu fruit; HPLC's methodology presented more exact values of vitamin C concentration than Tillman’s methodology, because HPLC’s methodology eliminate the substances that interfere the vitamin C concentration determination; the great part of vitamin C in the commercial flesh was lost during its processing. The complete characterization of the camu-camu fruits of the BAG can contribute significantly with the genetic improvement programs of camu-camu resources in Embrapa
Informações adicionais: Monografia (especialização)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Departamento de Nutrição, 2007.
Aparece na Coleção:Nutrição Humana

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2007_LuzHaydeeBravoZamudio.pdf1.7 MBAdobe PDFver/abrir


Todos os itens na BDM estão protegidos por copyright. Todos os direitos reservados.