Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/15483
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_ThayanneNaradaRocha_tcc.pdf824,33 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Análise quantitativa da produção de espécies reativas de oxigênio no hipotálamo, durante a febre em ratos
Autor(es): Rocha, Thayanne Nara da
Orientador(es): Souza, Fabiane Hiratsuka Veiga de
Assunto: Espécies reativas de oxigênio (EROS)
Ratos - febre
Febre
Data de apresentação: 2016
Data de publicação: 5-Jan-2017
Referência: ROCHA, Thayanne Nara da. Análise quantitativa da produção de espécies reativas de oxigênio no hipotálamo, durante a febre em ratos. 2016. 43 f., il. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em Farmácia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2016.
Resumo: A febre é uma resposta fisiológica comum a infecções, inflamações e trauma. Pode ser caracterizada como um aumento na temperatura corporal acima do intervalo normal. Quando ocorre o processo febril são liberados diversos mediadores pró e antiinflamatórios que estimulam resposta imune adaptativa. O lipopolissacarídeo (LPS), uma endotoxina de parede de bactérias gram-negativas é responsável por sintomas de febre e hipotensão, além de estimular a produção de espécies reativas de oxigênio (EROS) e agravar doenças patológicas. Estudos sugerem que as EROS possuam papel importante no controle de muitos processos fisiológicos, principalmente na defesa contra infecções bacterianas. Este estudo avaliou a quantidade de EROS produzida no hipotálamo de ratos após a administração de LPS (5 μg/kg) e salina (salina 0,9%, 2 mL/Kg). Os animais tiveram sua temperatura corporal aferida a cada 15 minutos, durante 6 h. Em seguida os animais foram anestesiados e eutanasiados por decapitação para a retirada do hipotálamo. Para a quantificação de EROS foi utilizado o marcador de spin CMH e a leitura foi feita por ressonância paramagnética eletrônica (RPE). Os resultados do presente estudo demonstram que não há diferença estatística na concentração hipotalâmica de EROS entre os animais tratados com LPS e os animais tratados com salina. Esse resultado foi inesperado, visto que o sistema nervoso central apresenta pouca atividade antioxidante e elevada afinidade com o oxigênio. Novos experimentos estão sendo realizados em nosso laboratório a fim de confirmar esses resultados, visto que as EROS são de vital importância em processos celulares.
Abstract: Fever is a common physiological response to infections, inflammation, and trauma. It can be characterized as an increase in body temperature above the normal range. When the febrile process occurs several pro and anti-inflammatory mediators are released that stimulate adaptive immune response. Lipopolysaccharide (LPS) a gram-negative bacterial wall endotoxin is responsible for symptoms of fever and hypotension, aggravate pathological diseases besides stimulating a production of reactive oxygen species (ROS). Studies suggest that ROS plays an important role in the control of many physiological processes, especially in defense against bacterial infections. This study evaluated the level of ROS in rat hypothalamus after administration of LPS (5 μg / kg) or saline (0.9% saline, 2 mL / kg). The animals had their body temperature measured every 15 minutes for 6 h. The animals were then anesthetized and euthanized for dissection of the hypothalamus. For ROS detection the spin probe CMH was used and quantification was done by electronic paramagnetic resonance (EPR). The results of the present study do not present a statistical difference in the level of ROS in hypothalamus of animals treated with LPS and the animals treated with saline. These results were unexpected, since the Central nervous system has little antioxidant activity and high affinity with oxygen. New experiments are being carried out in our laboratory to confirm these results, since EROS are of vital importance in cellular processes.
Informações adicionais: Trabalho de conclusão de curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia, Curso de Farmácia, 2016.
Aparece na Coleção:Farmácia



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons