Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/15196
Título: Clima Organizacional no Ministério da Saúde : estudo comparado nas coordenações de Pessoal e Financeira
Autor(es): Silva, Maria José Martins
Orientador(es): Santos Júnior, Carlos Denner dos
Assunto: Clima organizacional
Educação permanente
Ministério da Saúde
Data de apresentação: 2016
Referência: SILVA, Maria José Martins. Clima organizacional no Ministério da Saúde: estudo comparado nas coordenações de Pessoal e Financeira. 2016. 21 f., il. Monografia (Especialização em Gestão Pública na saúde)—Universidade de Brasília, Brasília, 2016.
Resumo: Um bom clima organizacional oportuniza a uma ambiência de segurança e de aceitação, na qual o indivíduo se torna mais cooperativo e, por conseguinte, alcança bons resultados psicológicos e profissionais. A priori, é fundamental conhecer a percepção do trabalhador sobre a organização, pois os sentimentos que as pessoas têm sobre a mesma, refletem sobre a forma e o quanto trabalham. A literatura científica escolhida para guiar este estudo sobre o clima organizacional na Coordenação de Pessoal e Financeira do Ministério da Saúde foi baseada na análise de: Um Novo Modelo de Pesquisa de Clima Organizacional, por ser um instrumento prático e seguro que procura discorrer sobre os problemas reais na gestão de pessoas. Nas duas coordenações, foram distribuídos questionários in loco sobre o clima organizacional. A pesquisa cientifica incluiu os fatores internos e os fatores externos o que permitiu averiguar melhor a percepção dos servidores dentro e fora do Ministério. Após o mapeamento de todos os dados, verificou-se que nas duas coordenações existiam fatores desmotivantes e outros satisfatórios, o que infere que é necessário tecer meios que cooperem com a ambiência saudável constantemente. Sugere-se que coordenadores e equipes de trabalho atuem na educação permanente visando à gestão por competências, que se implantem ações de conscientização sobre a qualidade da ambiência profissional e por fim, meios de redução do estresse causado por fatores externos.
Informações adicionais: Monografia (especialização)—Universidade de Brasília, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Departamento de Administração, 2016.
Aparece na Coleção:Gestão Pública em Saúde

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_MariaJoseMartinsSilva_tcc.pdf536.28 kBAdobe PDFver/abrir


Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons