Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/15070
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_LusianedaConceicaoGomesLima.pdf1,27 MBAdobe PDFver/abrir
Título: Análise da produção hepática de espécies reativas de oxigênio durante a febre em ratos
Autor(es): Lima, Lusiane da Conceição Gomes
Orientador(es): Souza, Fabiane Hiratsuka Veiga de
Assunto: Espécies Reativas de Oxigênio (EROs)
Infecção
Febre
Doenças infecciosas
Data de apresentação: 2016
Data de publicação: 20-Out-2016
Referência: LIMA, Lusiane da Conceição Gomes. Análise da produção hepática de espécies reativas de oxigênio durante a febre em ratos. 2016. 42 f., il. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em Farmácia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2016.
Resumo: A febre é o sinal clínico mais importante da resposta de fase aguda frente à uma infecção. Estudos sugerem que as espécies reativas de oxigênio (ERO’s) são liberadas por macrófagos como uma defesa contra a invasão bacteriana, apresentando um papel importante no controle de muitos processos fisiológicos. Sabendo que o fígado representa um componente importante do sistema imune, sendo altamente povoado por diversas células imunes durante processos infecciosos e possuindo componentes necessários para a defesa de primeira linha, é de suma importância avaliar a produção de ERO’s por esse órgão durante a resposta febril. Neste estudo avaliou-se a produção de ERO’s no fígado de ratos durante a febre induzida por LPS. Para isso, foram utilizados ratos Wistar machos e fêmeas. Os animais receberam injeção endovenosa de LPS (5 μg/kg) ou do seu veículo (salina 0,9%, 2 mL/Kg). A partir de então, cada animal teve sua temperatura corporal aferida a cada 15 minutos, durante 6 h. Em seguida os animais foram anestesiados e eutanasiados por decapitação para a retirada do fígado. A quantificação de ERO’s foi feita por ressonância paramagnética eletrônica (RPE) utilizando o marcador CMH. Os resultados do presente estudo demonstram que os animais tratados com LPS apresentam maior concentração de ERO’s no fígado, esse aumento pode ser decorrente de uma maior produção de ERO’s e/ou da redução dos sistemas antioxidantes.
Abstract: Fever is the most important clinical sign in an acute phase caused by an infection. Studies suggest that reactive oxygen species (ROS) are released by macrophages as a defense against bacterial invasion, having an important role controlling many physiological processes. Knowing that the liver is an important component of the immune system, being highly populated by immune cells during infection processes and having components necessary for first-line defense it is indubitably important to evaluate the ROS role by this organ during a fever response. In this study was been evaluated the ROS production in rat liver during fever induced by LPS. For this, were used Wistar rats, males and females. The animals received an intravenous injection of LPS (5 mg / kg) or its vehicle (0.9% saline, 2 ml / kg). From then on, each animal had its body temperature measured every 15 minutes for 6 h. Then, the animals were euthanized and the liver was removed. ROS quantification was made by electron paramagnetic resonance using standard CMH. The results of this study demonstrate that animals treated with LPS had a higher concentration of ROS in the liver. This increase may be due to greater production of ROS and/or the reduction of antioxidant agents.
Informações adicionais: Trabalho de conclusão de curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia, Curso de Farmácia, 2016.
Aparece na Coleção:Farmácia



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons