Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/14714
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_FernandoCarvalhoVentura.pdf657,34 kBAdobe PDFver/abrir
Título: João do Rio e os ”poetas da detenção”
Autor(es): Ventura, Fernando Carvalho
Orientador(es): Balaban, Marcelo
Assunto: Crônicas
Literatura brasileira - história e crítica
Prisioneiros e prisões
Data de apresentação: 14-Jul-2016
Data de publicação: 21-Set-2016
Referência: VENTURA, Fernando Carvalho. João do Rio e os ”poetas da detenção”. 2016. 45 f., il. Trabalho de conclusão de curso (Licenciatura em História)—Universidade de Brasília, Brasília, 2016.
Resumo: “Os poetas da Detenção” é uma crônica de João do Rio, pseudônimo do jornalista Paulo Barreto, publicada inicialmente no dia 1º de setembro de 1905 no periódico Gazeta de Notícias do Rio de Janeiro. Uma crônica onde, através de diálogos com os detentos e com os demais personagens do cotidiano do estabelecimento penal da Casa de Detenção o narrador nos apresenta seu olhar sobre a produção de poemas e cantigas por esses detentos. Este trabalho monográfico tem por objetivo relacionar contextos e processos históricos à forma e conteúdo do texto que se tem por objeto de análise, ao seu autor e seus interlocutores imediatos, ou seja, no caso os leitores da Gazeta de Notícias do Rio de Janeiro quando da publicação da crônica. Este trabalho estabelece três principais contextos em que a crônica “Os poetas da Detenção" ganha sentido: a imprensa enquanto meio literário; as reformas urbanas em curso na cidade do Rio de Janeiro durante a administração de Pereira Passos; as rebeliões durante o período de produção da crônica que tomavam lugar na Casa de Correção, estabelecimento penal que dividia o espaço da Casa de Detenção à Rua Frei Caneca. Entretanto, outros contextos em que a crônica ganha sentido não foram ignorados, tampouco tiveram sua relevância minorada na análise da mesma.
Abstract: “Os poetas da Detenção” é uma crônica de João do Rio, pseudônimo do jornalista Paulo Barreto, publicada inicialmente no dia 1º de setembro de 1905 no periódico Gazeta de Notícias do Rio de Janeiro. Uma crônica onde, através de diálogos com os detentos e com os demais personagens do cotidiano do estabelecimento penal da Casa de Detenção o narrador nos apresenta seu olhar sobre a produção de poemas e cantigas por esses detentos. Este trabalho monográfico tem por objetivo relacionar contextos e processos históricos à forma e conteúdo do texto que se tem por objeto de análise, ao seu autor e seus interlocutores imediatos, ou seja, no caso os leitores da Gazeta de Notícias do Rio de Janeiro quando da publicação da crônica. Este trabalho estabelece três principais contextos em que a crônica “Os poetas da Detenção" ganha sentido: a imprensa enquanto meio literário; as reformas urbanas em curso na cidade do Rio de Janeiro durante a administração de Pereira Passos; as rebeliões durante o período de produção da crônica que tomavam lugar na Casa de Correção, estabelecimento penal que dividia o espaço da Casa de Detenção à Rua Frei Caneca. Entretanto, outros contextos em que a crônica ganha sentido não foram ignorados, tampouco tiveram sua relevância minorada na análise da mesma.
Resumén: "Os poetas da Detenção" es una crónica de João do Rio, seudónimo del periodista Paulo Barreto publicada por primera vez el 1 de septiembre de 1905 en el periódico Gazeta de Notícias de Rio de Janeiro. Una crónica en la cual, a través del diálogo con los detenidos y otros personajes del cotidiano en el establecimiento penal de la Casa de Detención, el narrador presenta su punto de vista de la producción de poemas y canciones de estos detenidos. Esta monografía tiene como objetivo relacionar los contextos y procesos históricos a la forma y el contenido del texto que tiene por objeto de análisis, el autor y sus interlocutores inmediatos, es decir, los lectores de la Gazeta de Notícias de Rio de Janeiro cuando se publica la crónica. Este trabajo establece tres contextos principales en los que la crónica "Os poetas da Detenção" tiene sentido: la prensa como un medio literario; las reformas urbanas en la ciudad de Río de Janeiro durante la administración de Pereira Passos; las rebeliones durante el período de producción crónica que tenían lugar en la Casa de Correção, establecimiento penal que compartía su espacio con la Casa de Detenção en la Rua Frei Caneca. Sin embargo, otros contextos en los que tiene sentido crónica no fueron ignorados, ni tendrán su importancia disminuida en el análisis de la crónica.
Informações adicionais: Trabalho de conclusão de curso (graduação)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Humanas, Departamento de História, 2016.
Aparece na Coleção:História



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons