Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/14641
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2015_FabiolaGomideBaqeroCarvalho_tcc.pdf1,1 MBAdobe PDFver/abrir
Título: Contra a perpetuação da medicalização na escola : a luta das Equipes Especializadas de Apoio à Aprendizagem - EEAA
Autor(es): Carvalho, Fabiola Gomide Baquero
Orientador(es): Sousa, Maria do Amparo de
Assunto: Distúrbios da aprendizagem
Fracasso escolar
Medicalização
Data de apresentação: 14-Nov-2015
Data de publicação: 19-Set-2016
Referência: CARVALHO, Fabiola Gomide Baquero. Contra a perpetuação da medicalização na escola: a luta das Equipes Especializadas de Apoio à Aprendizagem - EEAA. 2015. 70 f., il. Monografia (Especialização em Educação em e para os Direitos Humanos no Contexto da Diversidade Cultural)—Universidade de Brasília, Brasília, 2015.
Resumo: Este trabalho teve por objetivo contribuir com a reflexão sobre o problema da medicalização na escola. Como profissional da Secretaria de Educação, psicóloga da EEAA, a questão foi a de compreender como na relação entre as teorias e as instituições escolares do DF, vem se dando o processo de constituição de uma subjetividade de crianças e adolescentes desde sempre marcada pelo “fracasso” , o “transtorno”, “a doença” , dividida entre um “dito” sobre os problemas de escolarização e medicalização, um “já dito” (memória do dizer –história do fracasso escolar e da loucura), atravessada por um “não dito” ( que faz parte de todo dizer – imaginários que permeiam nosso dizer e fazer). Produzir conhecimento norteado pelo compromisso, enquanto profissional da educação, com à promoção dos Direitos humanos e qualidade da educação. A Análise de Discurso foi utilizada como referencial teórico e metodológico, sustentado, principalmente, nos trabalhos de Michel Pêcheux, Eni Puccinelli Orlandi e Mariza Vieira da Silva. Analisamos o funcionamento do discurso científico através do percurso histórico do fracasso escolar e da medicalização no Brasil. Realizamos análise de dados de alunos diagnosticados com TFEs no triênio 2011 – 2013 da SEEDF; e o discurso de profissionais do EEAA/DF que nos possibilitou uma discussão sobre a medicalização na escola, colocando em foco os sentidos a ela atribuídos. Evidenciamos que as práticas educativas direcionadas para estes alunos com transtornos específicos de aprendizagem, embora pareçam ser transparentes ao proporem lugares para que as subjetividades desses alunos sejam constituídas de maneira empodeiradas e inovadoras, não o são, pois uma análise discursiva permite-nos observar que ao desconstruir e deslocar sentidos a circularidade do discurso político e pedagógico mantém a ideologia dominante de controle e manutenção do status quo onde todos têm o direito de almejar o sucesso, mas não de consegui-lo, e a medicalização é um mecanismo desse controle.
Abstract: This study aimed to contribute to the discussion on the issue of medicalization in school. As a professional of the Department of Education, a psychologist at the EEAA, the question was to understand how the relationship between theories and educational institutions of the DF, has been giving the process of constitution of a subjectivity of children and adolescents have always marked by "failure" the "disorder ", “disease ", divided between a" told "about the problems of education and medicalization an "already said" (memory say-history of school failure and madness), crossed by a "no said" (which is part of all say - imaginary that permeate our say and do). Discourse analysis was used as theoretical and methodological framework, primarily due to the work of Pêcheux, Eni Orlandi Puccinelli and Mariza Vieira da Silva. We analyze the functioning of scientific discourse through the historical background of school failure and medicalization in Brazil. We perform data analysis of students diagnosed with TFES the three years 2011 - 2013 the SEEDF; and speech professionals EEAA / DF it allowed a discussion on the medicalization of school, putting in focus the senses assigned to it. We showed that the educational practices directed to these students with specific learning disorders, although they appear to be transparent when proposing places for the subjectivities of these students are made up of innovative way, are not, as a discursive analysis allows us to observe that the deconstruct and move senses the circularity of the political and pedagogical discourse remains the dominant ideology of control and maintenance of the status quo where everyone has the right to aspire to success, but to achieve it, and the medicalization is a mechanism that control.
Informações adicionais: Monografia (especialização)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Curso de Especialização em Educação em e para os Direitos Humanos, no contexto da Diversidade Cultural, 2015.
Aparece na Coleção:Educação em e para os Direitos Humanos, no contexto da Diversidade Cultural



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons