Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/14565
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2015_GiulianaCristinadeMeloEvangelista_tcc.pdf352,16 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Mitos sobre o ensino bilíngue : rodas de conversas com os surdos e familiares em uma escola do DF
Autor(es): Evangelista, Giuliana Cristina de Melo
Orientador(es): Santos, Larissa Medeiros Marinho dos
Assunto: Educação
Escola bilíngue
Surdos - educação
Desenvolvimento humano
Data de apresentação: 14-Nov-2015
Data de publicação: 14-Set-2016
Referência: EVANGELISTA, Giuliana Cristina de Melo. Mitos sobre o ensino bilíngue: rodas de conversas com os surdos e familiares em uma escola do DF. 2015. 39 f., il. Monografia (Especialização em Educação em e para os Direitos Humanos no Contexto da Diversidade Cultural)—Universidade de Brasília, Brasília, 2015.
Resumo: A educação de Surdos no Brasil vem passando por mudanças e avanços. Há duas principais vertentes de ensino para estes alunos, a inclusão que defende que a socialização é essencial para o desenvolvimento humano, pois é por meio dela que o o surdo se apropriará dos comportamentos sociais, adquirirá valores, normas e condutas e a aprenderá a interagir melhor com a sociedade ouvinte. A outra vertente é a do ensino bilíngue, que defende uma escola exclusiva para alunos surdos, onde todo o ensino é dado em sua primeira língua, a LIBRAS. Sobre o ensino bilíngue há questionamentos sobre se uma escola deste modelo seria segregadora e prejudicaria a formação futura dos alunos em fazer parte de uma sociedade ouvinte. Este trabalho teve por objetivo conhecer o ensino bilíngue sob a perspectiva dos alunos e familiares, e desmistificar conceitos equivocados sobre esta modalidade da educação de surdos. A pesquisa foi feita na Escola Bilíngue de Taguatinga, primeira escola deste modelo no DF, onde por meio de rodas de conversas com alunos surdos e familiares observamos que os familiares estão satisfeitos com a escola e com os resultados de progresso notados na aprendizagem dos surdos. Além disso observou-se o quanto o ensino bilíngue tem contribuído para avanços na aprendizagem dos alunos surdos, tais como uma melhor compreensão da língua portuguesa escrita o que tem ajudado na convivência destes alunos surdos com os ouvintes, mesmo em ambientes extraclasses. E além disso, os surdos puderam demonstrar que embora estudem em escola especial, sentem falta dos amigos ouvintes da escola inclusiva, demonstrando que a língua é uma barreira, mas que pode ser superada quando se aprende melhor uma segunda língua, o que é um dos principais objetivos da Escola Bilíngue.
Informações adicionais: Monografia (especialização)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Coordenação dos Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu, Curso de Especialização em Educação em e para os Direitos Humanos, no contexto da Diversidade Cultural, 2015.
Aparece na Coleção:Educação em e para os Direitos Humanos, no contexto da Diversidade Cultural



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons