Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/14453
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2015_CileneBritodaSilvadeArruda_tcc.pdf1,47 MBAdobe PDFver/abrir
Título: Enfrentando a discriminação no 6º ano da aceleração
Autor(es): Arruda, Cilene Brito da Silva de
Orientador(es): Santos, Larissa Medeiros Marinho dos
Assunto: Discriminação na educação
Ensino fundamental
Distúrbios da aprendizagem
Dificuldades escolares
Data de apresentação: 2015
Data de publicação: 1-Set-2016
Referência: ARRUDA, Cilene Brito da Silva de. Enfrentando a discriminação no 6º ano da aceleração. 2015. 28 f., il. Monografia (Especialização em Educação em e para os Direitos Humanos no Contexto da Diversidade Cultural)—Universidade de Brasília, Brasília, 2015.
Resumo: Este trabalho tem por objetivo refletir sobre a discriminação que os alunos do 6º ano da aceleração enfrentaram no Centro de Ensino Fundamental Cerâmica São Paulo em São Sebastião DF e como prejudicou sua autoestima. Uma escola da periferia do DF com diversos problemas sociais. Pensando nesse contexto foi que o projeto de proposto tornou-se viável, pois pretendeu incentivar o aluno a conhecer os direitos dos indivíduos para criar situações intencionais para promover a troca de informações e a construção individual e coletiva do assunto abordado. Uma classe composta de 14 alunos com dificuldades de acompanhar os sua turma. Os alunos ao sentirem-se discriminados e com sua autoestima fragilizada não acompanham o desenvolvimento necessário e a proposta do projeto visou reverter essa situação para garantir, afirmar e expandir os direitos já conquistados. Tendo em vista o impacto exercido pela escola na vida do aluno o projeto veio somar para inseri-lo na escola e preparar melhor o cidadão na sua formação aprendendo a valorizar e não discriminar as pessoas. Se, de um lado, as políticas públicas querem evitar a evasão, por outro, esses programas ocultam o fracasso escolar dentro da aceleração, que é uma defasagem acumulada. Considerando essa classe em particular, a dificuldade encontrada levou ao desprestígio e a discriminação. Os assuntos abordados dentro da intervenção em sala de aula levaram a turma a refletir sobre os direitos humanos e como poderiam contribuir para que todos entendam que a responsabilidade não é apenas individual. Partindo das realidades e necessidades da turma e na tentativa de superação o projeto foi desenvolvido promovendo o acesso as turmas da escola, demonstrando através dos trabalhos de exposição que os alunos da aceleração fazem parte da escola diante das leis e seus direitos também são preservados.
Informações adicionais: Monografia (especialização)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Curso de Especialização em Educação em e para os Direitos Humanos, no contexto da Diversidade Cultural, 2015.
Aparece na Coleção:Educação em e para os Direitos Humanos, no contexto da Diversidade Cultural



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons