Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/14340
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_JulianaFerreiradeAssis_tcc.pdf1,53 MBAdobe PDFver/abrir
Título: O papel de comunidades quilombolas na conservação da biodiversidade do cerrado : a experiência da Comunidade do Cedro, Mineiros-GO
Autor(es): Assis, Juliana Ferreira de
Orientador(es): Nogueira, Mônica Celeida Rabelo
Assunto: Quilombos
Conservação da natureza
Cerrado
Data de apresentação: 6-Jul-2016
Data de publicação: 25-Ago-2016
Referência: ASSIS, Juliana Ferreira de. O papel de comunidades quilombolas na conservação da biodiversidade do cerrado: a experiência da Comunidade do Cedro, Mineiros-GO. 2016. 38 f., il. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Gestão Ambiental)—Universidade de Brasília, Planaltina-DF, 2016.
Resumo: O Cerrado é a savana mais rica do mundo, com 5% da biodiversidade global, mas é também um bioma muito ameaçado. Estima-se que 55% de sua área já tenha sido desmatada ou alterada pela ação humana. Os remanescentes de Cerrado estão frequentemente no interior de áreas protegidas (Unidades de Conservação, Terras Indígenas, Quilombos). Um desses remanescentes encontra-se no sudoeste do estado de Goiás, englobando o Parque Nacional das Emas e territórios quilombolas, como a Comunidade Quilombola do Cedro. A presente pesquisa foi realizada no Cedro e focaliza a iniciativa de uma família, Morais Pio, que constituiu uma reserva para o desenvolvimento de um experimento de conservação e recuperação ambiental, associando conhecimentos tradicionais e técnico-científicos. Coleta de dados sobre os conhecimentos e práticas mobilizados pela Família Morais Pio no manejo da reserva foram utilizados dois instrumentos de pesquisa: observação participante das práticas de plantio e manejo e entrevistas semi-estruturadas com membros da Família Morais Pio. A reserva tem área de 1 hectare e está sendo adensada por meio do plantio de espécies nativas do Cerrado, desde 2014. A decisão de criá-la e manejá-la tem se dado sem a influência direta de ONGs, governo ou empresas. Nesse sentido, é uma manifestação autônoma de defesa da biodiversidade local, já que os arredores estão sendo devastados por monoculturas de soja e milho. As motivações da família para constituir a reserva também estão associadas à manutenção de práticas de medicina popular, que dependem de várias espécies nativas do Cerrado. A Família Morais Pio oferece, com sua iniciativa, um exemplo do que alguns autores chamam de conduta de territorialidade, ou seja, uma disposição para defender um determinado lugar. Populações tradicionais podem contribuir de modo efetivo para a conservação da biodiversidade do Cerrado. As atividades de extrativismo controlado de espécies com propriedades medicinais, combinadas ao adensamento de uma área de Cerrado, por meio de mudas e do plantio direto de sementes de espécies nativas na reserva da Família Morais Pio, revelam que é possível associar metas sociais e ambientais. Afinal, a reserva tem permitido à família manter a biodiversidade em sua área, mas também seus próprios conhecimentos e práticas de manejo das plantas, a produção de remédios caseiros, a saúde e identidade comum. Por fim, a iniciativa nos informa sobre a importância de se associar conhecimentos tradicionais e técnico-científicos em prol da conservação da sociobiodiversidade.
Abstract: Cerrado is the richest savanna in the world, representing 5% of global biodiversity, but it is also a very threatened biome. It is estimated that 55% of its area has been deforested or altered by human action. Cerrado remnants are often within protected areas (National Parks, Indigenous and Quilombo Lands). One of those remaining is located in the southwestern state of Goiás, encompassing the Emas' National Park and quilombolas territories, as the Quilombo Community Cedro. This research was conducted at Cedro and focuses on the initiative of a family, Morais Pio, which was a reserve for the development of an experiment on environmental conservation and recovery, combining traditional and technical-scientific knowledge. Data collection on the knowledge and practices mobilized by the family Morais Pio in the management of the reserve used two search tools: Participative observation of planting and management practices and semi-structured interviews with members of the family Morais Pio. This reserve has 1 hectare and is being condensed through the planting of native Cerrado species since 2014 by them. The decision to create it and manage it has occurred without the direct influence of ONGs, government or companies. In this sense, it is an autonomous manifestation of defense of local biodiversity, as the surroundings are being devastated by monocultures of soybeans and corn. The family's motives to constitute the reserve are also associated with maintaining folk medicine practices, which rely on several native species of the Cerrado. The Family Morais Pio offers with its initiative, an example of what some authors call the "conduct of territoriality", it means, a willingness to defend a certain place. Traditional populations can contribute effectively to the conservation of Cerrado biodiversity. The controlled extractive activities on native species with medicinal purposes, combined with the density increasing of a Cerrado area through seedlings and direct seeding of native species in Morais Pio's reserve, reveal that it is possible to link social and environmental goals. After all, the reserve has allowed the family to maintain biodiversity in your area, but also their own knowledge and plant management practices, the production of home remedies, health and common identity. Finally, the initiative informs us about the importance of combining traditional and scientific-technical knowledge for the conservation of sociobiodiversity.
Informações adicionais: Trabalho de Conclusão de Curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Planaltina, 2016.
Aparece na Coleção:Gestão Ambiental



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons