Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/14249
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_JulianaAlmeidaSantanaLauton_tcc.pdf625,12 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Análise do grau de evidenciação de instrumentos financeiros dos 10 maiores bancos brasileiros
Autor(es): Lauton, Juliana Almeida Santana
Orientador(es): Dantas, José Alves
Assunto: Evidenciação contábil
Instituições financeiras
Data de apresentação: 28-Jun-2016
Data de publicação: 19-Ago-2016
Referência: LAUTON, Juliana Almeida Santana. Análise do grau de evidenciação de instrumentos financeiros dos 10 maiores bancos brasileiros. 2016. 33 f. Monografia (Bacharelado em Ciências Contábeis)—Universidade de Brasília, Brasília, 2016.
Resumo: Um dos principais compromissos da contabilidade com os seus usuários é a evidenciação, que vai além de apenas divulgar, significando apresentar informações com qualidade, oportunidade e clareza. O presente estudo teve por objetivo avaliar o grau de evidenciação das operações com instrumentos financeiros, conforme o padrão estabelecido na IFRS 7. Para tanto, foram analisados os relatórios contábeis, das 10 maiores instituições financeiras do Brasil, referentes ao período de 2010 a 2014. Por meio da pesquisa documental, foi apurado do Grau de Evidenciação de Instrumentos Financeiros (GEIF) para as instituições da amostra, atribuindo notas entre 0 e 1 para cada um dos vinte requisitos. Foi constatado que os relatórios contábeis apresentaram aumento no grau de evidenciação sobre os instrumentos financeiros, em relação às disposições da IFRS 7. Apesar de crescente, o nível médio de divulgação dos instrumentos financeiros, de 58%, é considerado baixo, tendo em vista que todos os itens do IFRS 7 analisados são de divulgação obrigatória e o grau de divulgação obtido é pouco superior a 50%. Os itens mais divulgados estão relacionados às categorias de ativos e passivos financeiros, receitas, despesas, ganhos e perdas dessas categorias. Os menos atendidos referem-se às garantias aplicadas a passivos ou passivos contingentes, e garantias recebidas de clientes.
Informações adicionais: Monografia (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Departamento de Ciências Contábeis, 2016.
Aparece na Coleção:Ciências Contábeis



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons