Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/13904
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_AdrianaBarbosaBorgesdeOliveira.pdf626,79 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Saúde do homem : mortalidade e morbidade, sua relação com a política nacional de atenção integral à saúde do homem
Autor(es): Oliveira, Adriana Barbosa Borges de
Orientador(es): Marques, Carla Pintas
Assunto: Homens - saúde
Mortalidade - estatística
Saúde - atenção básica
Política Nacional de Atenção Integral a Saúde do Homem (PNAISH)
Data de apresentação: 2016
Data de publicação: 29-Jul-2016
Referência: OLIVEIRA, Adriana Barbosa Borges de. Saúde do homem: mortalidade e morbidade, sua relação com a política nacional de atenção integral à saúde do homem. 2016. 72 f., il. Monografia (Bacharelado em Saúde Coletiva)—Universidade de Brasília, Brasília, 2016.
Resumo: Em 2009 foi institucionalizada a Política Nacional de Atenção Integral a Saúde do Homem (PNAISH), que atualmente ainda se encontra em fase de implantação em muitos municípios e no Distrito Federal. Devido a fatores históricos e culturais estabelecidos pela sociedade, a prática do autocuidado e da prevenção e promoção a saúde são negligenciados, refletindo assim nas altas taxas de mortalidade e morbidade. Alguns autores abordam que os homens são mais vulneráveis a hábitos e comportamentos de risco, tais como álcool, drogas, tabagismo, sedentarismo violências e acidentes de trânsito. Diante desse quadro, torna-se de grande importância estudar a situação de saúde dos homens, levando em consideração as altas taxas de mortalidade, morbidade e custos que geram ao SUS. O objetivo principal desta pesquisa é analisar a saúde dos homens com faixa etária entre 20 a 59 anos no Brasil e no Distrito Federal, no período de 2000 a 2013. Trata-se de uma pesquisa descritiva quantitativa em que foram utilizadas base de dados secundários e pesquisa bibliográfica. Os resultados mostram que a condição de saúde da população masculina é algo preocupante, os homens morrem mais do que as mulheres e ainda assim procuram menos os serviços de saúde. Conclui-se que a situação de saúde na qual o homem se encontra é algo grave, e que somente a criação de uma política não foi suficiente para reduzir a mortalidade e morbidade que acometem o público masculino. A busca pelos serviços de urgência e emergência demonstram a fragilidade da atenção primária em atender as necessidades de saúde dos homens. As fragilidades e limitações dos sistemas de informação e a escassez de dados e pesquisas científicas acerca da aplicabilidade da PNAISH demostram que esta ainda é uma temática a ser explorada e estudada a finco.
Abstract: In 2009, the Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH) [National Policy of Integral Care for Men’s Health] officially became an institution, and is still being implemented in many cities and in the Brazilian Federal District. Because of historical and cultural factors socially established, self-care, prevention and health stimuli are often neglected, which reflects the high morbidity and mortality rates. Some researchers consider that men are more vulnerable to risky behavior and habits, such as alcohol, drugs, smoking, sedentary life, violence and traffic accidents. Therefore, the studies involving men’s health are of great importance, given those high morbidity and mortality rates, and the consequent increase in the expenses to the national public health system, the Sistema Único de Saúde (SUS). The main objective of this research is to analyse the health of Brazilian men between the ages of 20 and 59, in the period from 2000 until 2013. This is a quantitative descriptive research using secondary database and literature review. The results show the need to worry about the health conditions of men, and that despite their mortality rate are higher than that of women, they are still less likely to look for health care. Given this bad scenario, it is possible to conclude that the creation of the policy just mentioned was not enough to increase men’s well-being. In addition, their searching for emergency services demonstrates the fragile primary attention to the needs of men’s health care. These fragilities and limitations in the information systems and the lack of data and scientific researches on the applicability of the PNAISH prove that this continues to be a subject that needs intensive analysis and study.
Informações adicionais: Monografia (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia, Curso de Graduação em Saúde Coletiva, 2016.
Aparece na Coleção:Saúde Coletiva - Campus UnB Ceilândia



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons