Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/1386
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2009_LeonardoCostadeOliveira.pdf1,15 MBAdobe PDFver/abrir
Título: Alocação de unidades de geração distribuída com base no ITL (Incremental Transmission Losses)
Autor(es): Oliveira, Leonardo Costa de
Orientador(es): Oliveira, Marco Aurélio Gonçalves de
Assunto: Sistemas de energia elétrica
Energia elétrica - distribuição
Sistema fotovoltaico
Energia - fontes alternativas
Energia solar
Data de apresentação: Dez-2009
Data de publicação: 5-Jan-2011
Referência: OLIVEIRA, Leonardo Costa de. Alocação de unidades de geração distribuída com base no ITL (Incremental Transmission Losses). 2009. 68 f. Monografia (Bacharelado em Engenharia Elétrica)-Universidade de Brasília, Brasília, 2009.
Resumo: À medida que os anos passam, a sociedade procura cada vez mais a modernização e a facilitação das atividades do dia a dia. Porém, a tecnologia associada a tudo isso, por vários anos, agiu sem pensar no que esse avanço acelerado poderia acarretar ao meio ambiente. Essa modernização desenfreada causou ao mundo inúmeros impactos ambientais. Para resolver essa situação, a saída foi utilizar essa tecnologia em pro da obtenção de fontes que não provocassem tais danos ambientais. Como em toda inovação, essas teriam dificuldade no começo, porém, com o passar dos anos, isso poderia ser extremamente difundido. Assim, quando trata-se diretamente da tecnologia que envolve a obtenção de energia elétrica, a utilização de combustíveis fósseis traz grandes danos ambientais. Mesmo usinas que se utilizam de energia limpa, causam, também, grandes impactos em sua construção. Logo, a alternativa seria a utilização de fontes renováveis de energia, e a tecnologia, nos dias de hoje, que se apresenta mais viável nessa situação é a utilização da luz solar por meio da energia fotovoltaica. No início, a energia solar começou a ser utilizada apenas para aquecimento, porém, com o passar dos anos, ela passou a ser utilizada também como fonte de energia elétrica. A partir disso, a evolução natural seria utilizá-la na rede de distribuição elétrica, pois se teria inúmeras vantagens em relação ao sistema convencional centralizado, no que diz respeito principalmente a perdas ao longo das linhas de transmissão. A essa forma de geração de energia diretamente na rede dá-se o nome de geração distribuída (GD), e uma de suas grandes vantagens é a possibilidade da utilização de células fotovoltaicas, que é uma fonte limpa de energia, em larga escala no sistema. Neste trabalho será abordada a importância da localização desses geradores no sistema de distribuição. Por meio de ferramentas computacionais, no caso o MatLab e o pacote MatPower, e do estudo de coeficientes de sensibilidade das barras, chamado ITL, são encontradas as barras, que na implementação de uma GD, causariam as menores perdas possíveis. Outro ponto abordado no trabalho é o comportamento do sistema elétrico, no que diz respeito à mudança dessa melhor posição para inserção de uma GD, mediante algumas alterações significativas nele. Assim, as alterações feitas foram de reduzir uniformemente as cargas do sistema a fim de simular casos de carga média e carga leve, e de trocar duas cargas significativas do sistema de posição. Depois de realizadas estas alterações com alguns sistemas e várias vezes com cada um percebeu-se que a barra mais sensível do sistema continua a mesma do caso inicial. Também foi possível perceber que existe uma região onde a sensibilidade das barras é bastante parecida, ampliando a possibilidade de inserção de uma GD para mais posições. Outra constatação foi a relação linear entre a redução uniforme das cargas e o valor absoluto dos coeficientes ITL.
Informações adicionais: Monografia (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Tecnologia, Departamento de Engenharia Elétrica, 2009.
Aparece na Coleção:Engenharia Elétrica



Todos os itens na BDM estão protegidos por copyright. Todos os direitos reservados.