Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/13178
Título: Saberes e fazeres de parteiras kalungas de Diadema e Ribeirão dos Bois, Teresina – GO
Autor(es): Marinho, Cássia Pereira
Orientador(es): Saraiva, Regina Coelly Fernandes
Assunto: Medicina popular
Kalunga (comunidade quilombola brasileira)
Quilombos
Parteiras
Data de apresentação: 9-Dez-2015
Data de publicação: 25-Mai-2016
Referência: MARINHO, Cássia Pereira. Saberes e fazeres de parteiras kalungas de Diadema e Ribeirão dos Bois, Teresina – GO. 2015. 40 f., il. Monografia (Licenciatura em Educação do Campo)—Universidade de Brasília, Planaltina-DF, 2015.
Resumo: Este estudo mostra a importância das parteiras Kalunga de Ribeirão dos Bois e Diadema de seus saberes e fazeres. As comunidades Kalunga de Ribeirão dos bois é a continuidade de suas atuações têm vínculo com o confronto entre estes distintos significados para a identidade quilombola, e em como esses fatores se configurarão nas relações de poder externas e internas. O objetivo deste estudo é pesquisar os saberes e fazeres das parteiras na Comunidade Quilombola Ribeirão dos Bois e Diadema de Teresina–GO e as suas contribuições para a Educação do Campo de forma que leve os alunos a preservar a memória das parteiras, por meio de documentos, imagens, vídeos etc. A pesquisa foi realizada em fevereiro de 2015, por meio de pesquisa qualitativa, na comunidade. Recorremos à estratégia de coleta de registro dos dados, após coletados, os dados foram, minuciosamente, analisados desde o momento exato da pesquisa e das entrevistas. É para reforçar a coleta com mais informações de dados através de observação e entrevista, para fazer uso das matérias visuais para registro desse dado. Iniciamos nossa investigação preparando-nos para definir e identificar as comunidades que possuem o perfil traçado pela base teórica que caracteriza uma Comunidade Tradicional. Os conhecimentos tradicionais são pouco estudados e não compõem, de forma expressiva, os materiais didáticos de nossas escolas. Portanto, apesar de serem fundamentais para muitos povos, são concebidos como inferiores, ou mesmo ultrapassados. Acredito que temos muitas coisas a aprender com esses saberes e, por isso, é fundamental conhecer mais sobre esse universo.
Informações adicionais: Monografia (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade UnB Planaltina, Licenciatura em Educação do Campo, 2015.
Aparece na Coleção:Educação do Campo

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2015_CássiaPereiraMarinho.pdf816.15 kBAdobe PDFver/abrir


Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons