Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/1284
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2008_CinthyaBarrosoSousa.pdf363,53 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Trabalho e exploração : categorias de compreensão análoga para as travestis que atuam na prostituição do Setor Comercial Sul em Brasília
Autor(es): Sousa, Cinthya Barroso de
Orientador(es): Almeida, Patrícia Cristina Pinheiro de
Assunto: Homossexualismo
Identidade sexual
Exploração sexual
Prostituição
Travestis
Data de apresentação: Dez-2008
Data de publicação: 30-Nov-2010
Referência: SOUSA, Cinthya Barroso de. Trabalho e exploração: categorias de compreensão análoga para as travestis que atuam na prostituição do Setor Comercial Sul em Brasília. 2008. 67 f. Monografia (Bacharelado em Serviço Social)-Universidade de Brasília, Brasília, 2008.
Resumo: Dentre os segmentos dos quais é possível perceber na prostituição, o mais estigmatizado são as travestis/, por questões associadas à homossexualidade, (re)desenvolvimento do corpo e (re) desenhamento de uma nova identidade física, psicológica e subjetiva. O presente trabalho contou com pesquisa de campo, onde foi realizado o recorte para travestis H-M (Homem – Mulher). Homens biológicos que assumem a identidade física e psicológica feminina, que se prostituem no Setor Comercial Sul (SCS) de Brasília. Trabalho e exploração são categorias presentes na compreensão da prostituição e de quem se vê nesse processo. Para análise, admite-se o conceito de trabalho em Marx, partindo do pressuposto que não existe trabalho sem exploração, ou seja, ambas as categorias apesar de percebidas separadas fazem parte do mesmo contexto da sociedade capitalista de exploração. Um dos objetivos do trabalho é remontar a história da homossexualidade e pincelar o surgimento dos movimentos LGBT1, compreender o espaço do transgenderismo e travestismo, desenvolver questões relativas a (re) montagem ou desatrelamento do gênero a partir do biológico e acompanhar o surgimento da prostituição. Todas as categorias para montar o objeto central que é perceber de que maneira as travestis passaram a ser tão expressivas na prostituição e como elas se percebem nesse processo, trabalhadoras ou exploradas?
Informações adicionais: Monografia (graduação)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Humanas, Departamento de Serviço Social, 2008.
Aparece na Coleção:Serviço Social



Todos os itens na BDM estão protegidos por copyright. Todos os direitos reservados.