Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/12811
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2015_LeiaGoncalvesSousa.pdf377,62 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Escrita e tradição oral : a memória na poesia de Ana Paula Tavares
Autor(es): Sousa, Léia Gonçalves
Orientador(es): Rodrigues, Fabricia Walace
Assunto: Poesia angolana
Tavares, Ana Paula Ribeiro, 1952-
Identidade nacional
Data de apresentação: 2015
Data de publicação: 7-Abr-2016
Referência: SOUSA, Léia Gonçalves. Escrita e tradição oral: a memória na poesia de Ana Paula Tavares. 2015. 15 f. Monografia (Licenciatura em Letras Português)-Universidade de Brasília, Brasília, 2015.
Resumo: Através da análise dos poemas que constam no livro Dize-me coisas amargas como os frutos, da escritora angolana Ana Paula Tavares, o presente trabalho busca mostrar a importância da memória, vista como elemento reconstrutor da memória e identidade nacional de um país. Arrasada por duas guerras, a nação angolana teve como papel fundamental no âmbito de preservação de memórias , a figura dos velhos Griots e mesmo do Griot contemporâneo , do qual podemos considerar como representante Ana Paula .Os intelectuais angolanos foram de fundamental importância para institucionalizar um sentimento de preservação e busca de uma identidade nacional. Essa pesquisa apresenta-se fundamentada especialmente a partir dos estudos de Le Goff, Joël Candau e Maurice Halbwachs. Através desses autores, observa-se que a literatura angolana é marcada especialmente pela função social, trabalhando em prol de dar a voz a que não tem vez, denunciar os problemas, e preservar a tradição e a cultura. Analisa também a contribuição da memória coletiva, na reconstrução da nação.
Informações adicionais: Monografia (graduação)-Universidade de Brasília, Instituto de Letras, 2015.
Aparece na Coleção:Letras - Português



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons