Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/12278
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2015_DiegoHenriqueGomesdeMelo.pdf261,76 kBAdobe PDFver/abrir
Título: O impacto da crise política e econômica de 2013-2015 no desempenho do mercado acionário brasileiro
Autor(es): Melo, Diego Henrique Gomes de
Orientador(es): Medeiros, Otávio Ribeiro de
Assunto: Mercado acionário brasileiro
Crise política e econômica
Ibovespa
Data de apresentação: 24-Nov-2015
Data de publicação: 14-Mar-2016
Referência: MELO, Diego Henrique Gomes de. O impacto da crise política e econômica de 2013-2015 no desempenho do mercado acionário brasileiro. 2015. 34 f., il. Monografia (Bacharelado em Ciências Contábeis)—Universidade de Brasília, Brasília, 2015.
Resumo: O mercado acionário possui papel fundamental no desenvolvimento econômico de empresas e países. Por meio dele é possível que as empresas levantem recursos de capital emitindo ações e debêntures, além de ser uma importante oportunidade de investimento para o mercado. No entanto, o mercado acionário é sensível aos acontecimentos que permeiam o mundo real, seja nas esferas econômica, política e social, tanto em nível nacional quanto internacional. Desde meados de 2013 o Brasil vem enfrentando turbulências nas áreas social, política e econômica causadas por graves denúncias de corrupção em grandes empresas estatais, além de possíveis equívocos na condução da política econômica pelo poder Executivo. Este estudo tem por objetivo analisar o impacto da crise brasileira de 2013-2015 no desempenho do mercado acionário nacional. Neste cerne, foram levantadas quatro hipóteses de pesquisa. H1: a crise brasileira recente produziu retornos anormais significativos no mercado acionário nacional; H2: a crise brasileira recente produziu um retorno médio menor do que teria ocorrido na ausência de crise; H3: a crise brasileira recente aumentou a volatilidade dos retornos do mercado acionário nacional em relação à que teria ocorrido na ausência de crise; e H4: o desempenho do mercado acionário brasileiro piorou no período de crise. Para tanto, foi levantada amostra de dados mensais referentes ao índice Bovespa entre janeiro de 2010 a agosto de 2015, deflacionados pelo IPCA e do índice S&P500 da Bolsa de Valores de Nova Iorque, para o mesmo período, deflacionados pelo Consumer Price Index (CPI) dos Estados Unidos. Visando estimar os retornos do mercado acionário brasileiro antes do início da crise e projetar os retornos esperados sem crise no mercado brasileiro, foi utilizado um modelo de regressão. A partir desse modelo foram projetados os valores esperados para os retornos da Bovespa, supostamente na ausência de crise, pois foram projetados com base em estimação no período pré-crise. Para testar as hipóteses de pesquisa foram utilizados testes de distribuição normal, de igualdade de médias e de igualdade de variâncias, além de cálculos de retornos anormais acumulados. Os resultados apontaram que o retorno médio das ações no período de crise é maior do que o retorno esperado para o mesmo período sem crise. Além disso, foi percebida uma maior volatilidade dos retornos do mercado acionário brasileiro em decorrência da crise. O teste da distribuição normal apontou seis retornos anormais negativos e cinco positivos, indo contra o resultado esperado já que houve episódios de perdas e ganhos no período analisado. Entretanto, após todos os testes realizados, confirmou-se que o mercado acionário brasileiro reagiu negativamente à crise econômica do período.
Informações adicionais: Monografia (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Departamento de Ciências Contábeis e Atuariais, 2015.
Aparece na Coleção:Ciências Contábeis



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons