Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/11311
Título: Codependência : um olhar sistêmico-psicodramático
Autor(es): Lilian Costa Schüler
Orientador(es): Costa, Ileno Izídio da
Assunto: Codependência
Dependência química
Família
Data de apresentação: 2015
Data de publicação: 29-Out-2015
Referência: SCHÜLER, Lilian Costa. Codependência: um olhar sistêmico-psicodramático. 2015. 61 f. Monografia (Especialização em Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas)-Universidade de Brasília, Brasília, 2015.
Resumo: Este trabalho tem por temática central a Codependência, a família codependente e seu papel na dependência química, tendo como base teórica o pensamento psicodramático-sistêmico, no qual está alicerçado o contexto, o padrão relacional dos diferentes atores e sistemas envolvidos. O objetivo é propor a junção desses dois olhares na compreensão da estrutura e dinâmica das famílias. Método: revisão bibliográfica de artigos científicos e livros. Metodologia: análise reflexiva da bibliografia, a partir do trabalho realizado com familiares codependentes em um Centro de Atenção Psicossocial para Álcool e outras Drogas – CAPSad do DF. Conclusões: a) as famílias são co-autoras tanto para o surgimento e evolução do abuso da droga, quanto na busca de tratamento para seus membros; b) é importante incluir a família no tratamento de forma a trazer-lhe de volta a confiança em seus recursos próprios de reflexão e mudança, a espontaneidade, a criatividade e a capacidade télica; c) durante todo e qualquer processo terapêutico, está implicita a leitura interpretativa de cada um e de todos os envolvidos, onde tais leituras interferem e somam-se umas às outras, de forma que o fenômeno sempre se apresentará diferente a cada visitação que lhe fazemos, e onde os olhares do terapeuta também se incluirão nas vivências, banhando-se da mesma plasticidade e mutabilidade, incessante a cada encontro de conteúdos intersubjetivos. ________________________________________________________________________________ ABSTRACT
This paper has as its central theme Codependency, the codependent family and its role in addiction, under the theoretical ground psychodramatic-systemic thinking, which is rooted in the context, different relational pattern actors and systems involved. The objective is to propose the addition of these two looks for understanding the structure and dynamics of families Method: Reviewed bibliographic research. Methodology: Reflexive analisys of the bibliography, based on the work with this specific clientele in a Psychosocial Care Center for alcohol and other Drugs - DF CAPS-ad. Conclusions: a) families are co-authors for both the emergence and evolution of drug abuse, and in seeking treatment for their members; b) It is important to include the family in the treatment in order to bring back confidence in their own resources of reflection and change, spontaneity, creativity and telic capacity; c) In any therapeutic process implicit is the interpretative reading of each and everyone involved, where such readings interfere and add up to each other, so that the phenomenon always present different every visit we make it, and where the therapist looks also include the experiences, bathing in the same plasticity and mutability, incessant every meeting of inter-subjective content.
Informações adicionais: Monografia (especialização)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, 2015.
Aparece na Coleção:Saúde Mental Álcool e Outras Drogas

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2015_LilianCostaSchuler.pdf12.31 MBAdobe PDFver/abrir


Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons