Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/10957
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2015_HenriqueGomesGuimarães.pdf569,83 kBAdobe PDFver/abrir
Registro completo
Campo Dublin CoreValorLíngua
dc.contributor.advisorLima, Erick Calheiros de-
dc.contributor.authorGuimarães, Henrique Gomes-
dc.identifier.citationGUIMARÃES, Henrique Gomes. Pragmática e comunicação: intersubjetividade em Verdade e justificação de Jürgen Habermas. 2015. 50 f. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em Filosofia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2015.en
dc.descriptionTrabalho de conclusão de curso (graduação)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Humanas, Departamento de Filosofia, 2015.en
dc.description.abstractPartindo de uma reconstrução das questões em torno da filosofia no século XX, nos deparamos incontornavelmente com a questão e relevância da linguagem. Nesse trabalho, tentaremos desenvolver esse tema condutor, relacionando a abordagem lógico-cognitiva da linguagem com o mundo externo – na busca da objetividade e da verdade na representação e explicação dos fatos – com os processos intersubjetivos de comunicação e interação dos falantes entre si – que buscam compreensão, reconhecimento e acerto no nosso mundo social. Essa reconstrução seguirá primeiramente na posição da pragmática semântica sociolinguística de Wittgenstein: nos usos e jogos de linguagem entretecidos em formas práticas de vida. Em segundo lugar, na atuação da compreensão realizada na virada histórico-hermenêutica: em busca do horizonte de sentido e da abertura do mundo da vida intersubjetivamente partilhado. Espera-se articular essas duas tradições (pragmática e hermenêutica) a partir de uma confrontação e atenuação entre filosofias promovida pelas teorias da comunicação e do discurso em Jürgen Habermas (1929-), mais especificamente em sua obra Verdade e Justificação (1999). É nessa mediação que criaremos pontes intertextuais e complementações assegurando uma abertura para a questão da intersubjetividade em sua relação fundamental com a linguagem, os processos de aprendizado, com a ética e a filosofia.en
dc.rightsAcesso Abertoen
dc.subject.keywordWittgenstein, Ludwig, 1889-1951en
dc.subject.keywordRelevância linguísticaen
dc.subject.keywordTeoria cognitivaen
dc.subject.keywordIntersubjetividadeen
dc.subject.keywordHabermas, Jürgenen
dc.subject.keywordVerdadeen
dc.titlePragmática e comunicação : intersubjetividade em Verdade e justificação de Jürgen Habermasen
dc.typeTrabalho de Conclusão de Curso - Graduação - Bachareladoen
dc.date.accessioned2015-08-21T16:08:43Z-
dc.date.available2015-08-21T16:08:43Z-
dc.date.issued2015-08-21T16:08:43Z-
dc.date.submitted2015-
dc.identifier.urihttp://bdm.unb.br/handle/10483/10957-
dc.language.isoPortuguêsen
dc.description.abstract1Following a reconstruction of the philosophical questions around the twenty century, we find ourselves inevitably with the question of language. In this work I will try to develop this guide theme, relating the logic-cognitive approach of language with the external world – in the search for objectivity and truth in the representation and explication of facts – with the intersubjective processes of communication and interaction of the speakers with themselves – that search comprehension, recognition and correctness in our social world. Our objectives will follow, primarily in the position of the sociolinguistic pragmatic-semantics of the later Wittgenstein: in the uses and language games entertained in forms of life-praxis. In the second place we are concerned with the comprehensive action realized in a historic-hermeneutic turn : in the search of the horizon of meaning and the opening of the world of life intersubjectivily shared. Is expected an articulation of this two traditions (pragmatic and hermeneutics) from a confrontation and attenuation between philosophies promoted by the critical theories of communication and discourse in Jürgen Habbermas (1929-), more specifically in his late work Truth and Justification (1999). It is in this mediation that we will create intertextual bridges and complementations, securing openness to the question of language in its fundamental relations with the processes of learning, ethics and philosophy.-
Aparece na Coleção:Filosofia - Graduação



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons